Páginas

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

"O verdadeiro revolucionário é movido por grandes sentimentos de amor."


"Eu creio que a primeira coisa que deve caracterizar um jovem comunista é a honra que se sente por ser jovem comunista. Essa honra que o leva a mostrar-se a toda gente na sua condição de ser comunista, que não o submete à clandestinidade, que o não reduz a fórmulas, mas que ele manifesta em cada momento que lhe sai do espírito, que tem interesse porque é o símbolo de seu orgulho. Junta-se a isso um grande sentido do dever para com a sociedade que estamos construindo, para com os nossos semelhantes como seres humanos e para com todos os homens do mundo. Isso é algo que deve caracterizar o jovem comunista.Paralelamente, uma grande sensibilidade a todos os problemas e uma grande sensibilidade em relação a justiça."
Che Guevara.

CONTO DE FADAS DO SÉCULO XXI




"Era uma vez, numa terra muito distante uma linda princesa independente e cheia de auto-estima que, enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago de seu castelo estava de acordo com as conformidades ecológicas, se deparou com uma rã. Então a rã pulou no seu colo e disse: - Linda princesa, eu já fui um príncipe muito bom. Uma bruxa má lançou-me um encanto e transformou-me nessa rã asquerosa. Um beijo teu, no entanto, há de me transformar de novo num belo e poderemos casar e constituir um lar feliz em teu lindo castelo. A minha mãe pode vir morar conosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavarias as minhas roupas, criarias os nossos filhos e viveríamos felizes para sempre!
Naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã à sautée, acompanhadas de um cremoso molho acebolado e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria e pensava:

'Nem fo...den...do'!"

(autor desconhecido)

OBS: Originalmente postei Luis Fernando Veríssimo como autor, mas nem todas as fontes da internet são confiáveis. Estava incorreto.
Obrigada pela observação desse equívoco Cristina Ramos.
bjs

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA - JJ


Texto de hoje:
A disciplina gramatical na atualidade - A Manutenção de Padrões (Maria Helena de Moura Neves)

Aula da semana passada:
Relações sintagmáticas e relações associativas (ou paradigmáticas).

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO - José Luiz


Na primeira aula (semana passada) foi feita uma retrospectiva com uma linha do tempo desde a Pré-história até a Idade Contemporânea (1808 - chegada da família real ao Brasil)
Talvez já tenha algum material de estudo na Mila
.


Sugestões de filmes:

A Missão: Após matar seu irmão, um mercador de escravos entra em crise de consciência e decide ajudar um padre que luta para defender os índios. Dirigido por Rolando Joffé (A Letra Escarlate) e com Robert De Niro, Jeremy Irons, Aidan Quinn e Liam Neeson no elenco. Vencedor do Oscar de Melhor Fotografia.

Carlota Joaquina: A diretora Carla Camurati (Copacabana) leva às telas a história da passagem pelo território brasileiro de Carlota Joaquina, infanta espanhola prometida ao D. João VI com apenas 10 anos de idade. Com Marco Nanini, Marieta Severo, Vera Holtz, Ney Latorraca e Marcos Palmeira.

Desmundo: Em pleno Brasil colonial, uma jovem órfã portuguesa é enviada ao país para se casar com um dos colonizadores que vivem no Brasil. Não aceitando seu destino, uma delas busca fugir de seu novo marido e retornar ao seu país natal. Dirigido por Alain Fresnot (Ed Mort) e com Osmar Prado, Caco Ciocler e Simone Spoladore no elenco.

CUSOS GRATUITOS NA FGV


Tópicos temáticos introdutórios na área de Gestão Empresarial - carga horária de 5h
Balanced Scorecard (novo!)
Conceitos e Princípios Fundamentais do Direito Tributário (novo!)
Consultoria em Investimentos Financeiros - Intermediação Financeira (novo!)
Direito do Trabalho - Contratação do Trabalhador (novo!)
Fundamentos da Gestão de Custos (novo!)
Gestão de Pessoas - Motivação nas Organizações (novo!)
Processo de Comunicação e Comunicação Institucional (novo!)
Estratégia de Empresas - Introdução à Administração Estratégica
Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável - História da Questão Ambiental
Gestão de Marketing - Produto, Marca, Novos Produtos e Serviços
Gestão da Tecnologia da Informação - TI nas Organizações: Estratégia e Conceitos
Técnicas de Gerência de Projetos - Gerenciamento do Escopo do Projeto

Tópicos temáticos introdutórios na área de Metodologia - carga horária de 5h
Metodologia de Pesquisa - Conhecimento, saber e ciência
Metodologia do Ensino Superior - Universidade e Sociedade

Cursos em áreas de conhecimento diversas - carga horária de 15h
Ciência e Tecnologia
Diversidade na Organização
Ética Empresarial
Recursos Humanos

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Camisetas PEDAGOGIA ISERJ


Na turma 3211 no turno da tarde, tem uma menina que está vendendo as camisetas a 10 reais.
Tem P/M/G modelos normais e baby look nas cores preta, branca e cinza.


Curso de Atualização em Português


Esse curso e do sistema FIRJAN/SESI
Estou buscando mais informações para colocar aqui,
mas quem estiver interessado deixa um recadinho com nome/tel por baixo da porta do Centro Acadêmico Cecília Meireles, sala 209B para saber mais informações.


Documentos necessários para inscrição:

- Identidade
- Comprovante de Residência
- Comprovante de Escolaridade
- Autodeclaração de baixa renda

A 1ª aula no turno da noite será na próxima quarta-feira 30/9 quando o aluno receberá o material didático e a carteirinha.

Ainda não sei se esse curso é aberto à comunidade ou exclusivo aos alunos do ISERJ

Grupo de Teatro


Estão abertas as inscrições para o grupo de teatro do ensino superior.
Inscrições na coodenação. Professora Cida Donato
Os encontros serão nas tardes de sexta-feira.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Das Vantagens de Ser Bobo - Clarice Lispector



O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir e tocar o mundo. O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas. Se perguntado por que não faz alguma coisa, responde: "Estou fazendo. Estou pensando."

Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza, e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem a idéia.

O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem. Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem como simples pessoas humanas. O bobo ganha utilidade e sabedoria para viver. O bobo nunca parece ter tido vez. No entanto, muitas vezes, o bobo é um Dostoievski.

Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo, confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho sem vê-lo sequer. Resultado: não funciona. Chamado um técnico, a opinião deste era de que o aparelho estava tão estragado que o conserto seria caríssimo: mais valia comprar outro. Mas, em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e portanto estar tranqüilo. Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado. O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu.

Aviso: não confundir bobos com burros. Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera. É uma das tristezas que o bobo não prevê. César terminou dizendo a célebre frase: "Até tu, Brutus?"

Bobo não reclama. Em compensação, como exclama!

Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar todos no céu. Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz.

O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos. Ser bobo é uma criatividade e, como toda criação, é difícil. Por isso é que os espertos não conseguem passar por bobos. Os espertos ganham dos outros. Em compensação os bobos ganham a vida. Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. Aliás não se importam que saibam que eles sabem.

Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas (não confundir bobo com burro, com tolo, com fútil). Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem por não nascer em Minas!

Bobo é Chagall, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas. É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca. É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo.

sábado, 19 de setembro de 2009

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Filmes clássicos, raros e lançamentos

Nesse site tem a listagem dos filmes disponíveis na locadora em frente ao ISERJ
http://www.video142.com.br/

Para retirá-los é necessário ser cliente cadastrado...

Você sabia...

à esquerda na entrada principal temos um TEATRO.

Você sabia...

...que temos um CENTRO DE IDIOMAS no 3º andar do ISERJ?


INGLÊS
FRANCÊS
ESPANHOL

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Você sabia...

Achei super!!!
no térreo, a direita na entrada principal temos quadra coberta, vestiários..
Os alunos do ISERJ têm direito à pratica de atividades físicas.
Algumas com direito a disputa em campeonatos!!!
Quem se anima?!

YOGA
NATAÇÃO
HIDROGINÁSTICA
TKD
JUDÔ...



vai lá e confere.
MEXA-SE!


[EM CONSTRUÇÃO]

"A educação tem que assumir-se política"

O Centro Acadêmico Cecília Meireles fica no 2º andar, porém vive fechado por falta de colaboradores, mas toda colaboração será sempre bem vinda, deixe por baixo da porta, mande e-mail ou poste comentário no blog. Estamos fazendo o que nos é possível.



PARTICIPE!!!

PP1 - Márcia Gil

Leitura do livro para as próximas aulas
FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia.

"Saberes necessários à prática docente."

Esse e outros livros on-line gratuitamente.
http://www.dominiopublico.gov.br/


Vale a pena dar uma olhada no site do CEAT
Centro Educacional Anísio Teixeira
principalmente na "proposta pedagógica"
www.ceat.org.br

Tem Xerox na mila...

O filme sobre Paulo Freire (aula 24/9) está disponível em 7 partes no youtube
http://www.youtube.com/watch?v=TLnidFeLC0Y

Pesquisa - Malu

Arrumação da sala p utilizar transparências...

Como se organizar no quadro-negro

[PALAVRA-CHAVE]

Atividades:

1. Ache as palavras-chaves dos 10 parágrafos do texto (anterior). Tempo 10 min.


...
10§


Correção:
voluntários escrevem no quadro...
malu corrige oralmente e manda apagar as erradas.

2. Faça um parágráfo com essas palavras chaves em 10min. (valendo?)


Dinâmica ...



"A psicanálise dos contos de fadas" (sugestão de leitura)

[em construção]

próxima aula 24/9

Resumo de uma lauda do texto:
"Dilemas e Perspectivas..." (mila)


Aula de 24/9
Cuidados com a voz do professor
http://www.saudeetrabalho.com.br/download/trabalhando-a-voz.pdf

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Espaço de Inclusão - ISERJ

Sala 324-A

Contatos:
Márcia França
tel: 21-7625-8817

[em construção]


Missão:
Ser um centro de excelência na atuação, produção e disseminação da Inclusão no ISERJ...

ATIVIDADES PROGRAMADAS SETEMBRO/09

PALESTRA: "Dislexia, TDA e TDAH"
com Dra. Kátia Beatriz Correa e Silva
Dia 10/9/09 - 9h30min - Sala 300

(certificado de participação)

www.tdahecomorbidades.com.br
katiabeatrizmd@gmail.com

Arte e Educação - Bia

[em construção]

Didática Geral - Jane Cristina

Unidade I

Unidade II

[em construção]

Texto na mila...

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Atualização em Dislexia

http://www.lerecompreender.com.br/
É um site de vídeo conferências da Faculdade de Medicina do ABC
Já houveram duas e fica gravado para ser revisto.
A primeira eles enviaram até certificado.
Eu achei superlegal...rs sei lah!!

Arte - Bia

Leitura do texto

"A IMAGEM NO ENSINO DA ARTE"


Como estou sem o texto vou ler essa resenha
http://quasarte.blogspot.com/2007/06/importncia-da-imagem-no-ensino-da-arte.html

Sociologia Geral - SURPLUS e ILHA DAS FLORES

Resumos MANUSCRITOS para as próximas aulas.

15/9 - Max Weber
22/9 - Karl Marx
29/9 - Filmes:
SURPLUS http://video.google.com/videoplay?docid=-7400393743229742503
ILHA DAS FLORES http://www.portacurtas.com.br/index.asp

PROVA 6/10

Informática Educativa - Elisabete

Estudo dirigido dos textos:
1 - "O QUE SÃO TECNOLOGIAS? "
2 - "ALFABETIZAÇÃO TECNOLÓGICA DO PROFESSOR"

Responda:
1. Conceitue técnicas e tecnologias. Dê exemplos de ferramentas.
2. Por que as mídias são consideradas "tecnologia da inteligência"?
3. Qual o papel da escola face as novas tecnologias?
4. O que significa "alfabetização tecnológica do professor"?

PRÓXIMA AULA TEXTO 3
"LER E ESCREVER NA CULTURA DIGITAL"

domingo, 6 de setembro de 2009

XIV Bienal do Livro Rio

10 a 18 de setembro no Riocentro, Rio de Janeiro.

mais informações no site
http://www.bienaldolivro.com.br/

sábado, 5 de setembro de 2009

Sócrates

Sócrates teria tomado a inscrição da entrada do templo de Delfos como inspiração para construir sua filosofia: Conhece-te a ti mesmo.

III Colóquio Educação, Cidadania e Exclusão - Gênero e Pobreza: Imagens de Escola


Prazo para envio de trabalhos prorrogado para 20 de setembro


Gênero e Pobreza: "Imagens de escola"

Na edição de 2009 buscamos atualizar as discussões sobre exclusão e pobreza inserindo a temática de Gênero a partir das imagens das escolas, em que os estudos etnográficos contribuem, sobremaneira, para conhecer, compreender e desvelar a realidade sócio educacional vivenciada por uma parcela significativa de jovens e crianças em todo mundo. As desigualdades de gênero, associadas a pobreza, têm incidido sobre as práticas, as políticas e as teorias educacionais no Brasil na última década.
Data: 04, 05 e 06 de Novembro
Local: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Rua: São Francisco Xavier, 524Maracanã - RJ
Informações: (21) 3253-5849
coloquio@netedu.pro.br

mais informações nesse site http://www.netedu.pro.br/noticias/19

XIV Semana de Educação - UERJ

20 a 22 de outubro de 2009
Tema geral: 70 anos do Curso de Pedagogia no Brasil.
Inscrições:Autores e Co-Autores: até 13/09
Ouvintes: de 17/08 a 15/10
Estudantes até a graduação: R$10,00

A XIV SEMANA DA EDUCAÇÃO, a ser realizada entre os dias 20 e 22 de outubro próximo, objetiva dar continuidade ao espaço de apresentação e discussão da pesquisa e produção científica do corpo docente e discente da Faculdade de Educação retomado na edição anterior. No ano passado este evento mostrou-se revigorado e ampliado contando com a participação de setecentos e cinquenta inscritos e a apresentação de cerca de duzentos trabalhos entre conferência, mesas-redondas, minicursos, oficinas, comunicações e pôsteres.

A XIV SEMANA DA EDUCAÇÃO pretende reunir pesquisadores, professores e alunos dos cursos de Pós-Graduação e Graduação nas modalidades presencial e à distância dos cursos de Pedagogia e demais Licenciaturas, bem como dos diversos Núcleos e Programas da Faculdade de Educação com suas pesquisas e publicações, assim como, contar com a participação de pesquisadores e alunos de outras instituições públicas e privadas do país.

A temática central escolhida para esse ano é 70 ANOS DO CURSO DE PEDAGOGIA NO BRASIL, com o claro objetivo de pôr em evidência e discussão questões que perpassam a construção da identidade deste campo do conhecimento. A expectativa da Comissão Organizadora é a de que haja uma intensa mobilização do coletivo da Faculdade de Educação.

Programação Geral
Horários Atividades

20 de outubro de 2009
16:00 às 18:00 Credenciamento, inscrições para Oficinas e Minicursos
18:00 às 18:30 Abertura oficial / Coral da Uerj
18:30 às 20:00 Palestra de abertura
20:00 às 21:00 Inauguração da exposição infância e coquetel do evento. 21 de outubro de 2009
08:00 às 10:00 Oficinas
10:00 às 10:30 Intervalo para café.
10:30 às 12:00 Palestra - eixo 2

12:00 às 14:00 Intervalo para almoço
14:00 às 16:00 Minicursos
16:00 às 16:30 Intervalo para café
16:30 às 18:00 Comunicações e pôsteres
18:00 às 19:00 Sessões de monografias
19:00 às 19:15 Intervalo
19:15 às 21:00 Mesa Redonda - eixo 3

22 de outubro de 2009
08:00 às 10:00 comunicações / pôsteres / sessões de monografias
10:00 às 10:30 Intervalo para café.
10:30 às 12:00 Mesa Redonda - eixo 1

12:00 às 14:00 Intervalo para almoço
14:00 às 16:00 Minicursos
16:00 às 16:30 Intervalo para café
16:30 às 18:00 sessões de monografias / comunicações / pôsteres
18:00 às 19:30 Oficinas
19:30 às 20:30 MR - balanço final da XIV Semana da Educação. Vídeo do evento.
20:30 às 21:30 Coquetel de encerramento

mais informações no site
http://www.educacao.uerj.br/SemanaEducacao2009/index.html

CONAE

Conferência Nacional da Educação


A conferência será realizada, nos dias 12 e 13 de setembro, no Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro (Iserj). Profissionais da educação de todos os segmentos se reúnem para debater assuntos pertinentes ao ensino no Brasil.
O encontro é uma preparação para a Conae 2010, que acontece em Brasília entre os dias 28 de março e 1o de abril. Durante o evento, serão discutidos temas como o papel do Estado na garantia do direito à educação de qualidade: organização e regulação da educação nacional; qualidade da educação, gestão democrática e avaliação; democratização do acesso, permanência e sucesso escolar; formação e valorização dos profissionais da educação; financiamento da educação e controle social; justiça social, educação e trabalho: inclusão, diversidade e igualdade.O Iserj fica na rua Mariz e Barros, 273, na Tijuca.

As inscrições estão encerradas, mas quem quiser aventurar-se pode tentar assistir a partir das 10h.

Sociologia Geral - Regene

Tem que entregar na próxima aula, 8/9/09 um resumo MANUSCRITO do texto:
"A Sociologia de Durkheim"

Filosofia - Lia

Na última aula, 28/8/09, a professora deu uns temas para o seminário. Grupos de 4.
Passem p a professora o tema escolhido e os componentes do grupo.
As apresentações começam no dia 18 de setembro.

1- Chauí - Introdução à história filosófica
2 - Morente - A metafísica dos pré-socráticos
3 - Brun - Os pré-socráticos - Capítulo Heráclito
4 - Châtelet - Uma história da razão - Capítulo A invenção da razão
5 - Hadot - O que é filosofia antiga - Capítulo Sócrates
6 - Dherbey - Os sofistas - Capítulo Protágoras


Turma 3211 - Os futuros pedagogos.
"O caminho se faz ao caminhar!"

ISERJ - mais de um século na formação de professores

"Pedagogo é aquele que possibilita o acesso à cultura, organizando o processo de formação cultural. É , pois, aquele que domina as formas, os procedimentos, os métodos através dos quais se chega ao domínio do patrimônio cultural acumulado pela humanidade. (...) A palavra pedagogia traz sempre ressonâncias metodológicas, isto é, de caminho através do qual se chega a determinado lugar. Aliás, isto já está presente na etimologia da palavra: conduzir (por um caminho) até determinado lugar."


EM DEFESA DA SOBREVIVÊNCIA DO ISERJ - FOLHA DIRIGIDA 06/08/2009




Reeleita em maio diretora do Instituto Superior de Educação do Estado do Rio de Janeiro (Iserj) com 75% dos votos, Sandra Santos enfrenta novos desafios para implementar o seu projeto de gestão: oferecer formação da educação infantil à pós-graduação, como cursos técnicos e de nível superior, voltados para a formação de profissionais de educação.No início do mês passado, o antigo curso Normal Superior foi reconhecido oficialmente pelo Conselho Estadual de Educação (CEE/RJ) como de Pedagogia e a perspectiva de transferência do curso superior para a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) parecia superada.No entanto, nesta semana, Sandra Santos foi informada do projeto da Secretaria Estadual de Educação (SEE) de transformar o Iserj na "Casa do Educador", retirando os alunos do Colégio de Aplicação (CAp-Iserj) para as redes municipais e transferindo os alunos do curso de Pedagogia para instituições do sistema estadual. Tão logo a comunidade acadêmica ficou sabendo, se mobilizou. Mesmo durante o recesso em função da Gripe A, a Associação de Pais e Alunos do Instituto de Educação do Rio de Janeiro (Apierj) promoveu uma reunião e anunciou que pretende procurar a ajuda da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e do Ministério Público para evitar a transferência de, aproximadamente, 3.500 alunos. Depois de ter enfrentado uma luta nos tribunais para conseguir participar da consulta interna e continuar na direção do Iserj, já que uma norma da Faetec tentou impedir que servidores cedidos da Secretaria Estadual de Educação participassem da consulta, Sandra se prepara para essa nova batalha e anuncia a disposição da instituição em colaborar com a formação dos professores recém-concursados, desde que a atual estrutura, com o CAp-Iserj e o curso de Pedagogia, seja mantida. "Tivemos o apoio do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação, que nos ajudou com sua assessoria jurídica para que eu pudesse participar da consulta. Agora, pais de alunos já se mobilizam para que a escola não saia daqui. Queremos comemorar os 130 anos do Iserj, no ano que vem, como uma instituição que ofereça cursos da educação infantil à pós-graduação, na perspectiva de formação de cidadão e profissionais de educação", diz a diretora do Iserj. Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, a educadora também analisa o Plano Nacional de Formação dos Professores, anunciado pelo MEC, e chama atenção para a questão da ética profissional dos docentes.




Folha Dirigida - Como a senhora recebeu a notícia da transformação do Iserj na "Casa do Educador"?




Sandra Santos - O Iserj está em permanente estado de alerta. Praticamente uma vez por ano somos surpreendidos com notícias de mudanças no Iserj. Esta proposta visa aproveitar o espaço físico patrimonial em detrimento do espaço político-pedagógico. Na realidade, mais uma vez, o Iserj é procurado pela beleza do seu conjunto patrimonial, pela sua grandeza física. A "Casa do Educador" seria criada para oferecer cursos de capacitação daqueles docentes que já fizeram concurso público e irão atuar na rede estadual. Não compete a mim avaliar a pertinência desse projeto, mas o que nos causa estranheza é o fato de se encarar o espaço físico do Iserj como se fosse vazio. Mas nossa instituição é cheia de vida. Não há como sugerir algo que substitua a história de 130 anos do Iserj. Pelo projeto, o Iserj retornaria à Secretaria Estadual de Educação (SEE), a educação infantil e fundamental seriam diluídas nas redes municipais e a formação dos professores transmitida para as redes de ensino superior do estado. Além disso, haveria uma parceria público-privada com a Oi Telecomunicações.




Como essa medida repercutiu na comunidade escolar?




O Iserj, com seus 4.500 sujeitos, vem se organizando para viver o que deseja: uma instituição que da creche à pós-graduação visa formar o cidadão no eixo da educação, formando técnicos e professores. Esse é o nosso perfil, que nos congrega. Toda ajuda de restauro das nossas instalações é bem-vinda. Mas o aspecto pedagógico não pode ser substituído pelo físico. Não basta o restauro pelo restauro. Queremos que o nosso campus patrimonial seja um campus a serviço de crianças, jovens e adultos.




Qual é a pertinência da manutenção do CAp-Iserj para a formação dos professores?




O Colégio de Aplicação é importante para a prática dos professores e tem um trabalho desenvolvido ao longo da trajetória do Instituto. As atividades na educação básica validam a formação dos professores. Além disso, existe uma legislação específica que regulamenta os colégios de aplicação. Não se trata apenas de transferir os alunos para as redes municipais. Nesse caso, acredito que o aspecto econômico está se sobrepondo ao aspecto pedagógico. A senhora foi informada oficialmente do projeto de criação da "Casa do Educador"?Soubemos dessa intenção através da Apierj, que retirou um documento da internet informando anúncio da criação da "Casa do Educador" em um evento, que contou com a participação da secretária estadual de Educação, Tereza Porto, e da secretária municipal de Educação do Rio, Cláudia Costin. Então, fui à Secretaria Estadual de Educação (SEE) e conversei com Júlio da Hora, subsecretário de Gestão de Recursos e Infraestrutura da SEE. Ele disse que projeto existe e o Iserj seria uma das possibilidades de espaço físico para a "Casa do Educador". Estamos ponderando que, na realidade, não somos espaço livre para estar preenchido. Somos parte da educação brasileira. A formação de professor não pode ser vista só por uma secretaria; deve ser encarada de forma compartilhada. O Iserj já tem a sua história. Não podem querer trazer pacotes prontos e criar projetos como se fôssemos uma tábua rasa.




E caso a Secretaria de Educação pedisse a ajuda da instituição na capacitação dos professores recém-concursados, o Iserj estaria disposto a colaborar?




Sim, poderíamos colaborar desde que isso não significasse algo para substituir o que já temos. Para se implantar um projeto não é preciso destruir o que existe. Temos uma história de 130 anos na formação de professores, sendo dez anos em nível superior. Temos discussões acumuladas sobre formação de professores em várias áreas, inclusive na Educação Inclusiva. Hoje temos integrados na nossa escola 56 alunos especiais. Queremos trabalhar como um Centro de Profissionais de Educação Inclusiva. E o Iserj não deseja sair da Faetec. Já decidimos isso em assembléias internas.




E nesse sentido, quais são seus planos para o Iserj nessa nova gestão?




Vamos continuar formando técnicos em nível médio e continuar formando professores em nível superior. O Iserj, por ser um centro de referência na formação de professores, também precisa se preocupar com a formação dos profissionais de educação. Pretendemos formar também o inspetor, o secretário escolar em nível técnico, o técnico em Informática para o Ambiente Escolar e o técnico em Gestão Administrativa para o Ambiente Escolar. Isso não que dizer que vamos deixar de formar o técnico de Informática Geral, mas que tenhamos uma ou duas turmas com foco no Ambiente Escolar para que possamos adequar todo o perfil do Iserj tanto no nível técnico e do nível superior para profissionais de educação. O Iserj acredita que uma escola precisa de professores, mas precisa de secretários, inspetores, técnicos em Informática, merendeiras, animadores culturais e de agentes do patrimônio, principalmente em instituições tombadas como a nossa. Também nos anos finais do ensino fundamental queremos assumir a iniciação para o trabalho. E pensarmos a formação da Educação de Jovens e Adultos para o profissional que trabalha com a merenda e para o animador cultural e ainda o agente patrimonial, que seriam aqueles que aprenderiam, junto com Português e Matemática, a recepcionar pessoas em instituições tombadas. Esse será um diferencial pois dará sentido social ao aluno que está terminando o ensino fundamental. Isso ainda não existe. Isto está em vias de acontecer no próximo ano, nas comemorações dos 130 anos do Iserj.




Dentro dessas mudanças, existe a perspectiva de retornar a oferta do tradicional curso Normal em nível médio?




O Normal Médio ainda é necessário em nível de Brasil, por conta das dificuldades de um país imenso. Mas não é possível admitir que o profissional que trabalha com Português, Matemática, História, Geografia e Ciências tenha toda a sua formação apenas em nível médio. Só o ensino médio não dá conta de toda amplitude de conhecimento que vem se produzindo. Hoje, no Rio de Janeiro e em outras cidades, se mantém o Normal Médio. Temos um desafio para diretores, autoridades e professores responderem: como é que vamos dar conta dos Normais Médios, dos Normais Superiores, das Pedagogias? Nossa avaliação é que se deve buscar uma verticalidade: o aluno do Normal Médio deve ter continuidade nas Pedagogias públicas. O aluno que já começou a estudar para ser professor em nível médio, deve ter direito a um percentual no número de vagas, uma garantia de vinculação aos cursos públicos de Pedagogia e de Normal Superior. No ano em que o curso Normal Superior completou dez anos, foi oficialmente reconhecido como curso de Pedagogia.




Que avaliação a senhora faz desse processo?




No dia 9 de julho, foi publicado no Diário Oficial o parecer que reconhece por três anos o curso de Pedagogia com equivalência ao Normal Superior, com as ênfases de Educação de Jovens e Adultos e Educação Especial. O regimento do Iserj foi reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação e os diplomas são expedidos pela Uenf. Hoje, oferecemos um curso de Pedagogia com ênfase em Educação Especial ou em Educação de Jovens e Adultos. Essa mudança de nome de Normal Superior para Pedagogia foi uma demanda em grande parte dos alunos, até mesmo por conta de uma questão de inserção no mercado de trabalho. Permanecemos com as ênfases para que não perdêssemos toda a nossa história de Normal Superior.




Com está o Iserj em termos de infra-estrutura e de pessoal?




A relação com a Faetec já permite a elaboração de um Plano Diretor?No início deste ano, a Faetec passou por uma mudança de presidência. Quem assumiu o comando foi o professor Celso Pansera, em janeiro. Nós estamos construindo uma relação muito mais profícua com a presidência da Faetec atual, na perspectiva de que ele respeite a diversidade de servidores. E isso vem dando um tratamento equânime entre os servidores da Faetec e os servidores da Educação. Havia discriminação entre o pessoal cedido da educação e os funcionários efetivos da Faetec?A antiga presidência também tinha esse entendimento. Já a atual presidência não: entende que deve haver um tratamento equânime entre os dois tipos de servidores e existe todo um estudo junto ao secretário de Ciência e Tecnologia, de se incorporar definitivamente esses servidores cedidos, garantindo tratamento equânime inclusive em nível salarial e não apenas funcional. O que para nós é extremamente importante porque é preciso que tanto os doutores da Secretaria Estadual de Educação, cedidos à Faetec há muitos anos, quanto os doutores concursados da Faetec tenham o mesmo provento salarial, que não têm atualmente. Hoje em dia, há uma discrepância de quase R$1 mil entre os dois servidores. Um professor-doutor da Faetec ganha por volta de R$3,6 mil e um doutor concursado da Secretaria Estadual de Educação ganha por volta de R$2,6 mil. Não havia uma complementação para que o salário dos servidores cedidos fosse equiparado ao do pessoal da Faetec?No início essa equiparação se efetivava. Com o passar do tempo, à medida em que o profissional adquiria triênios — a equipe que faz essa equiparação entende triênios e ga nhos de direitos funcionais como base salarial, quando, na realidade, não são — essa complementação foi se perdendo. Muitos servidores têm seu contra-cheque de complementação quase zerado. Triênio não é salário, é direito e vantagem do servidor. Houve a redução da complementação salarial ao longo dos anos. Isso é algo que merece um trabalho focado para que todos os profissionais que trabalham na Faetec, hoje, possam ganhar pela formação e pelo tempo de trabalho. Não há, na realidade, como enfrentar isso a não ser com um estudo rigoroso e com a incorporação definitiva desses servidores cedidos ao quadro permanente da Faetec. Hoje nós somos parte do quadro dos servidores da Faetec, mas uma quadro em extinção. Estamos há 12 anos fazendo parte da Faetec. Quando nós fomos cedidos não havia concurso para Faetec e os primeiros concursados foram em regime celetista, depois eles passaram a regime estatutário. A gênese da Faetec foi feita pelos profissionais cedidos pela Secretaria Estadual de Educação. Esses profissionais merecem respeito e reconhecimento.




Qual é o percentual de cedidos e funcionários da Faetec aqui no Iserj?




No Iserj, nós temos 40% de pessoal da Secretaria de Educação, 50% de funcionários da Faetec e 10% de contratados temporários. Ainda há necessidade de fazer contratos temporários para suprir a carência de professores porque não tem ocorrido concursos públicos, por enquanto. Costumamos fazer os contratos temporários para o ensino fundamental e educação infantil, porque não há concursos específicos para esses dois setores. Mas hoje em dia, também contratamos para o ensino médio e ensino superior porque os professores implementadores começaram a se aposentar. A senhora acredita que com um piso de R$950, os professores se sentem estimulados a participar tanto de programas de capacitação quanto de fóruns para discussão de políticas públicas, como a Conferência Nacional de Educação (Conae)?É óbvio que o piso salarial não é o que esperamos. Ter um piso garante que nenhum professor ganhe menos do que R$950. Isso é importante. Contudo, a profissão de professor também não é reconhecida; não apenas pelas autoridades, mas também não é reconhecida pela própria população ainda. As pessoas falam: "É professor e ganha mais do que um engenheiro...". Numa fala dessas já há uma desqualificação de uma profissão em relação a outra. Todos querem ser bons professores, mas quase ninguém orienta seus filhos a ser professor. Há uma desvalorização da profissão de professor generalizada. É preciso uma atenção de todos os profissionais. O professor é o profissional que faz a mediação entre os conhecimentos científicos e os conhecimentos escolares. É o profissional que pode minimizar a violência. É o profissional que está com as crianças no momento em que os pais estão trabalhando. Na crise ética em que estamos vivendo, precisamos retomar a valorização social do professor. Além da valorização de condições objetivas, que não se dá, é algo que demanda reconhecimento social.




E qual seria o caminho para reverter esse quadro?




A sociedade precisa se organizar e os professores também. Os docentes precisam voltar a respeitar a própria profissão. A senhora acredita que os professores se "auto-desvalorizam" hoje em dia?Existe uma generalização de que a profissão do magistério virou algo que gera vergonha. A auto-estima profissional precisa ser retomada. Se eu amo o que faço, se eu luto para ter bons salários, eu vou valorizar a minha profissão. Mas é preciso ter ética profissional. Eu preciso dar a mesma aula que dou numa instituição particular e dar a mesma aula numa instituição pública. Faltar de forma igual, somente mediante necessidade. Eu não posso nunca faltar na escola particular e tirar todas as faltas do ensino público. Eu não posso dar aula com toda a devoção na rede particular e, na rede pública, ficar sentado ou ler jornal. Então, a ética profissional é algo que nós todos professores precisamos cuidar. A grande maioria dos professores não trabalha nessa ética, mas temos profissionais que fazem isso. E sabemos que isso acontece. E combatemos isso. Trabalho com a profissão do magistério há muitos anos e venho falando que, trabalhando na rede privada ou na rede pública, tenho coerência entre o que eu falo e o que eu faço. E trabalho da mesma forma em ambos os espaços, apesar de, atualmente, trabalhar apenas no espaço público. É preciso que essa ética profissional seja revalidada, porque isso também garante o respeito a nós, professores. O respeito que precisamos ter pelo aluno, o modo como devemos nos dirigir a ele, o respeito que ele exige de nós. Pois, com certeza, vamos exigir que ele tenha respeito por nós.




A forma de o professor tratar o aluno muda da escola pública para a escola privada?




Pode mudar. Porque na escola privada pode-se perder o emprego. Na escola pública, talvez sim, talvez não. O que tenho percebido ao longo desses anos todos é que a ética profissional é fundamental. Tanto na área de Saúde, quanto na área Jurídica, como na de Educação, como na área Política. A ética é demanda de todos nós. Quem é o formador ético do cidadão brasileiro? Quem lida com o cidadão em crescimento e em desenvolvimento todos os dias? Não é o professor? Então, qual é a profissão que cuida da gênese do cidadão? E é exatamente esse que é mais mal remunerado. Estamos em crise ética e profissional da profissão de professor. Espero que superemos a crise com momentos ricos. Mas que todos nós da sociedade brasileira possamos associar que um cidadão que não queira mentir, não queira ser corrupto, não queira roubar, precisa de uma formação ética. E a formação ética de um cidadão passa pelo cotidiano de uma escola.